Clínica de cuidado de animais domésticos

Como a idade afeta seu cão

Como a idade afeta seu cão

O tempo melhora até os cães mais saudáveis. Do câncer e processos de pensamento em deterioração à artrite e diabetes, os cães geriátricos desenvolvem doenças semelhantes às que ocorrem nos seres humanos. Abaixo está um breve resumo das condições físicas que você e seu veterinário podem encontrar ao ajudar seu cão a navegar na velhice.

Nota: Cães mais velhos devem consultar um veterinário a cada 6 meses. Entre as visitas, relate quaisquer alterações na saúde ou na aparência do seu cão.

Os sentidos

Com a idade, o sistema nervoso do seu cão ficará entorpecido. Os caminhos que transmitem mensagens para o cérebro a partir das terminações nervosas diminuem, e seus sentidos, que recebem mensagens do mundo exterior, não serão tão receptivos quanto antes.

  • Audição. A perda auditiva ocorre naturalmente em cães idosos, à medida que as células nervosas e o aparelho auditivo degeneram. Problemas no ouvido interno também são comuns e podem causar tonturas ou perda de equilíbrio. Em algumas raças, os pêlos emaranhados que crescem dentro da orelha podem abafar os sons, assim como o acúmulo de cera em cães com canais estreitos. Raças com orelhas caídas são propensas a infecções por fungos, bactérias e leveduras.
  • Vista. Embora os olhos do seu cão possam parecer turvos, essa condição - chamada "esclerose nuclear" - não afetará necessariamente sua visão. No entanto, ele pode perder sua capacidade de se concentrar em objetos próximos. Outros problemas oculares relacionados à idade incluem capacidade reduzida de enxergar no escuro (ou mesmo sob luz forte), catarata, glaucoma e degeneração da retina.
  • Cheiro. O nariz do cão é um órgão sensorial altamente desenvolvido, e uma grande área do cérebro canino é dedicada ao olfato. Tumores e pólipos no nariz podem enfraquecer o sentido do olfato, que degenera consideravelmente em cães com mais de 15 anos.
  • Disfunção cognitiva canina. Às vezes, a degeneração do sistema nervoso é extrema o suficiente para afetar a qualidade de vida de um cão e a maneira como o animal se relaciona com sua família. A disfunção cognitiva canina - uma síndrome semelhante à doença de Alzheimer em humanos - pode se manifestar de várias maneiras. Isso inclui diminuição da interação com a família; desorientação, confusão e olhar para o espaço; padrões anormais de sono e atividade, como estimulação; diminuição da atenção; capacidade reduzida de navegar escadas; deficiência auditiva aparente; ou lapsos na housetraining.

    Outros problemas sistêmicos

  • Respiração. A capacidade pulmonar diminui com a idade e as alergias podem se tornar mais pronunciadas. Os cães não apenas usam seus pulmões para aspirar oxigênio e expiram dióxido de carbono, mas também usam seus pulmões e ofegam para o resfriamento evaporativo. Pugs e outros cães de nariz curto de todas as idades são particularmente propensos a problemas respiratórios em ambientes quentes e poluídos.
  • Coração e circulação. Os cães desenvolvem doenças cardíacas, mas ataques cardíacos são raros. Sopros cardíacos, indicando doença valvar cardíaca progressiva, podem ocorrer em alguns cães idosos.
  • Esqueleto, articulações e músculos. A artrite afeta um em cada cinco cães, causada pelo desgaste da cartilagem que conecta ossos e articulações. A criação seletiva alterou a estrutura óssea em alguns cães e eles tendem a apresentar doenças ósseas. Além disso, as vértebras - os ossos que protegem a medula espinhal - podem se deteriorar e colidir com a bainha dos nervos, causando complicações que variam de dor e mancada a paralisia. As raças de pernas curtas e de espaldar comprido, como dachshunds e basset hounds, costumam experimentar discos escorregadios.
  • Sistema digestivo. Problemas digestivos - desde estômagos que não toleram certos alimentos até intestinos que não absorvem nutrientes - são comuns em cães idosos. Sinais de problemas incluem diarréia, vômitos e gases. A constipação é outra doença gastrointestinal comum. Os sacos anais também se tornam mais suscetíveis a obstruções ou infecções. A obesidade deve ser controlada com uma dieta sênior rica em fibras e baixa caloria. Cães com excesso de peso também são prováveis ​​candidatos a diabetes.
  • Rins e bexiga. Os rins são um dos primeiros sistemas orgânicos a se desgastar em cães. À medida que a bexiga perde a elasticidade, o animal pode se tornar incontinente. Diabetes não regulamentado pode resultar em micção frequente em cães de meia-idade a mais velhos. Esforço, dor ao urinar, aumento ou diminuição da micção podem sinalizar insuficiência renal, lesão na coluna vertebral ou várias infecções. Se o cão mostrar algum desses sinais, leve-o ao veterinário imediatamente.
  • Hormônios e glândulas. As glândulas do sistema endócrino produzem hormônios que regulam e coordenam o metabolismo, a resposta imune e outras funções vitais. Se o envelhecimento desequilibra a produção de hormônios, vários sistemas corporais são afetados e podem resultar em condições como letargia, músculos fracos, artrite, pele seca, hipertensão e problemas cardíacos. O diabetes ocorre quando o pâncreas falha em produzir o suficiente do hormônio insulina ou quando os receptores de insulina não funcionam. Nesse caso, o pâncreas ainda secreta insulina, mas não é eficaz.
  • Sistema reprodutivo. Entre 60 e 80% dos cães machos não castrados com mais de 8 anos de idade desenvolvem próstata aumentada. Eles também são propensos ao câncer de testículo. Cães mais velhos e não castrados são propensos a infecções uterinas, câncer uterino ou ovariano e cistos ovarianos. As mulheres mais velhas que engravidam têm problemas de saúde significativos associados à gravidez. Cadelas têm 1/7 do risco de desenvolver câncer de mama se forem esterilizadas antes de atingirem a maturidade sexual.
  • Câncer. O câncer é um crescimento anormal galopante das células. Pode primeiro se tornar aparente como uma massa de tecido chamada tumor. Cães mais velhos têm maior probabilidade de desenvolver câncer, que geralmente é tratável. Se não puder ser curado, os cuidados veterinários modernos, a nutrição adequada e o amor podem tornar seu animal de estimação mais confortável.